by Ana

Um espaço para partilhar as "tolices" de cada dia, de uma forma descontraída, descomprometida e com algum sentido de humor. Only that.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

As novas rosas de Atacama



Podia ser uma invenção de Melquíades para experimentar na Macondo de GGMarquez. Mas não, esse era do país vizinho;
Podia ter sido uma invenção retirada de um esboço qualquer de um renascentista. Mas também não.  Baltazar Sete Sóis só sonhava com passarolas voadoras;
Ah! A viagem ao centro da terra, do Júlio..., mas essa foi concebida para começar num país teoricamente evoluído, a Islândia  e dentro da cratera dum vulcão. 
É pois uma máquina normal e tecnicamente, parece-me, que nada de grandioso, de magnificente, se pode atribuir aquele vai-vem, a cápsula, que está a proceder ao resgate dos 33 mineiros chilenos. Foi o plano C o qual  vingou para resgatar os mineiros que se encontravam soterrados desde o dia 5 de Agosto.
Não estamos a assistir a nada de extraordinário sob o ponto de vista cientifico, pois...
Pois não...Mas porque será que as lágrimas não param de cair? Por que não desgrudo das notícias, cada vez que um mineiro chega a superfície, como se fosse o LAmstrong a dar "o passo de gigante para a humanidade?"
É porque chove. Porque chove, não em Santiago, mas sim no Atacama.
Chove esperança, chove fé, chove força, chove animo, chove coragem...
Hoje, no Chile, no deserto do Atacama, a chuva inverteu o ciclo da água e caiu de dentro da terra, e isto sim é extraordinário...
Mas Chile é mesmo assim.

2 comentários:

  1. Na realidade foi muito emocionante. Parabéns pelo post!

    Rosa

    ResponderEliminar
  2. Rosa

    Obrigada. Foi emocionante mm.

    ResponderEliminar

Olá, então diga lá de sua justiça...