by Ana

Um espaço para partilhar as "tolices" de cada dia, de uma forma descontraída, descomprometida e com algum sentido de humor. Only that.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Obrigada a todos (perceptível)


video

Obrigada a todos pelos vossos comentários, pelos globos de ouros, pelas mensagens de estímulo e coragem!
Hoje começa a recuperação!!

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

The Oscar goes to...


video

Melhor argumento
Melhor realizador
Melhor imagem
Melhores efeitos esp(a)ciais
Melhor banda sonora (SHE)
Melhor relação custo/qualidade

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Olha o bicho, olha o bicho - Foto Reportagem

Após a 1ª cirurgia, Jan 2010. Rosa de Esperança


Após a 2ª Cirúrgia, Abril 2010. Roxa de desespero


Antes de começar a 2ªfase dos tratamentos, Julho 2010. Florida de ingénua


Após a 2ª fase de tratamentos, 26 Jan 2011 e antes da 3ª. Cinzenta, como o País.



Durante a 3ª fase de tratamento, novamente rosa. De esperança? Não, qual quê! Não houve foi dinheiro para comprar outro pijama!
Já viram o milagre do iodo radioactivo? De manhã estava branca que nem cal, agora estou bronzeada como se  estivesse há um mês a banhos, em Monte Gordo!!

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Avô


Faz hoje 30 anos, avô, que te foste embora.
Não mais afagaste, com as tua imensas mãos, os meus cabelos; não mais derramaste o teu sossego na minha maneira intempestiva de ser e querer; não mais repousei na certeza de que ela não bateria nunca à minha porta,  porque bateu e levou-te. Tinha eu 16 anos e foi o dia mais triste da minha vida.
Descansa em paz, avô João.

domingo, 23 de janeiro de 2011

Hereafter



Esta última realização de Clint Eastwood traz à praça pública a velha questão da existência ou não de Vida depois da Morte.
E parece que sim, que tudo indica que sim.
Das experiências de quase morte, aos contactos sobrenaturais ocasionais ou não com os entes desaparecidos, o mestre faz-nos acreditar que existe uma outra dimensão para além desta.
De salientar a excelente interpretação dos miúdos (gémeos) e os efeitos especiais para a recriação do tsunami.
De resto, soube a pouco.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Período de Reflexão


Liberdade - Fernando Pessoa por João Villaret

João Henrique Pereira Villaret
(Lisboa, 10 de Maio de 1913 — Lisboa, 21 de Janeiro de 1961)

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Amores perfeitos


Hoje dei comigo a pensar que Tempo e Amor conjugam-se da mesma forma, no mesmo tempo e com o mesmo nome.
É aquele Tempo que perdura para além do meu tempo; é aquele Amor que fica como o maior de todos os amores, o meu amor mais que perfeito.
Só esses têm nome, conjugam-se da mesma forma, incondicionalmente, em todos os pretéritos passados, perfeitos, mais que perfeitos, futuro, presente, mas sem condicional. Conjugam-se do conjuntivo e no disjuntivo também, independentemente da conjectura, do Indicativo ao Imperativo.
Eles têm nome, aliás, eles têm nomes.
São nomes que resistem ao Tempo, ao Tempo que tudo apaga, que tudo faz desvanecer, que tudo também cura.
Mas estes amores, que rasgaram o meu ventre e  machucaram o meu coração, que me fizeram escorrer lágrimas, estes amores, pelos quais me ajoelhei e rezei horas a fio, estes amores ainda doem, mas eu não quero que o tempo extinga esta dor.
Eles são a arma que ele, o Tempo, tem contra mim, confesso, mas não me importo.
Ver esses amores crescer é a forma mais amigável que ele, o Tempo, escolheu para me dizer que passou por mim.
Nuno, Carlos, Patrícia, são também a minha vingança contra ele. É aquilo que perdurará para alem de mim.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

FILHOS DA MÃE!!!

Nunca fui muito dada a palavrões e contestações e outras coisas terminadas em "ões", mas estes gajos "lá de cima" são todos uns ... Piiiiiiii... FILHOS DA MÃE!

40.000 professores vão para a rua, 7.000 são de EVT e os outros?

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Força de Dragão



Sou uma tia babada!!
O meu sobrinho João S., a quem sempre chamei o meu bochechinhas está, de facto, um homenzinho. Mas um homenzinho com H grande!
Ainda me lembro quando o ia buscar ao judo, ele sempre muito caladinho sentado lá atrás no carro, com aquelas bochechinhas, mas orgulhoso do seu cinto branco, depois amarelo, depois laranja...
Mas o meu bochechinhas foi crescendo, crescendo, ...
Adquiriu querer e saber. 
Adquiriu alma, alma de DRAGÃO, o que me tornou ainda mais orgulhosa, no meio daquela família de águias.
No verão passado apostou nele, com toda a força que os dragões têm e que só nós sabemos. 
Encheu o peito de ar e disse "Eu quero ir para o Colégio X.".
O Colégio X é um colégio muito difícil de se entrar, com provas de tudo e mais alguma coisa. Mas ele conseguiu!
E sabem que mais? Depois de conseguir entrar no Colégio X, o meu Joãozinho, no fim do primeiro período, entrou para o Quadro de Honra do Colégio, pelas suas notas e comportamento exemplar.
É de Dragão!
Força, João!!

sábado, 15 de janeiro de 2011

Dá-me música


Hoje entornei o meu galão personalizado sobre o meu croissant cozido por medida, ao ler esta notícia do  jornal que acompanha os meus pequenos almoços.
Que grande maestro! Sempre ouvi  dizer que quem tem dedos  toca guitarra. 
Neste caso, porém, não percebo qual a finalidade de lingerie no valor de 1393 euros para pegar numa batuta, mas nunca se sabe...talvez quisesse vestir as meninas da orquestra todas de igual.
Já as caixinhas de charutos Cohiba a 1014 euros cada, em Cuba e noutros pontos do globo, são justificávies. Há falta de batuta, o charuto é sempre um instrumento de charme, de comando.
 Em Banguecoque, aperaltou-se na loja da Boss e gastou 5000€.
Queriam que o maestro se apresentasse à frente da orquestra metropolitana com roupas dos chineses?
Pronto, ok. Também não precisava de andar de Limousine, é verdade. Bastava alugar um discreto Mercedes, um Audi A8, sempre poupava uns cêntimos. 
E quanto às peças de ourivesaria que comprou e pagou com o cartão da orquestra, aposto que fazia questão de acertar contas quando chegasse, só que estas coisas de jet leg provocam ataques de amnésia. Só não sabe quem não passa por elas!!
 Ao todo, em quatro anos, foram 720 mil euros. Mas pelo menos deu-nos música e da boa!!

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Direitos adquiridos



Mas não era só o que nos faltava???
Afinal a culpa não é da crise, ou seja, directamente da crise. A culpa da crise é do (re) alinhamento da Terra,  pois os astros mudaram. O nosso governo foi eleito sob os auspícios de um signo e agora, coitado, levou com um alinhamento astral em cima. Não há governo que aguente!!...
Eu também não. Sempre fui uma Carneiro orgulhosa, para o bem e para o mal. Muito fogo, muito teimosa, muito apaixonada, persistente, impulsiva, tutti, tutti, tutti. 
Agora querem-me impingir um Peixes, muita água,  a calma em pessoa, o deixa andar...
Não, astros, tenho direitos adquiridos!

Para os curiosos deixo aqui  a explicação para esta confusão das mudanças de signos.

NOVOS SIGNOS

Capricórnio: de 20 de Janeiro a 16 de Fevereiro
Aquário: de 16 de Fevereiro a 11 de Março
Peixes: de 11 Março a 18 de Abril
Carneiro: de 18 de Abril a 13 de Maio
Touro: de 13 de Maio a 21 de Junho
Gémeos: de 21 de Junho a 20 de Julho
Caranguejo: de 20 de Julho a 10 de Agosto
Leão: de 10 de Agosto a 16 de Setembro
Virgem: de 16 de Setembro a 30 de Outubro
Balança: de 30 de Outubro a 23 de Novembro
Escorpião: de 23 a 29 de Novembro
Serpente: de 29 de Novembro a 17 de Dezembro - novo

Sagitário: de 17 de Dezembro a 20 de Janeiro

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Intimidades



Hoje fui ao médico.
Coisa banal, banalissíma, trivial, comum, vulgar.
Uma ida ao médico. Que é isto para uma brava mulher, como eu, que teve três cesarianas em três anos consecutivos? Que enfrentou um 2010 recheado de "surprises", com umas idas à faca assim a modos que jogo da roleta russa, com um corta daqui, depois corta dali e depois logo se verá...
Bom, mas hoje fui ao médico. 
Mas não a um médico qualquer. A esses  todos já estou eu habituada.
Com aqueles que cortam e cosem, já trato por tu,  e até já chego a determinado tipo de acordos:
"Dr, já agora, retire-me o bicho, mas ao mesmo tempo, estique-me aqui esta ruga do canto dos lábios". 
Ou então:
´"Ó Dr, e se aproveitássemos e tirássemos a papada, que diz?" 
E as coisas até têm resultado.
E hoje fui ao médico, estava nervosa...
Não foi ao dentista. Adoro aquelas cadeiras desses. Gostava de ter uma coisa daquelas em casa., só lhes acrescentava uma funcionalidades, a de massagem. De resto, são óptimas. Até aquele conjunto de luzes, direccionado na perfeição para fazer a maquilhagem, ajudar na depilação do rosto, sei lá...
Hoje fui ao médico e nem a medicação da manhã me lembrei, tal era a nervoseira...
Cheguei a tempo e horas. Preenchi a admissão (!). O médico estava atrasado, que sorte!! "Estão a alcatroar o caminho que o Sr. Dr.utiliza", explicou a assistente.
Ai, que bom, com sorte livras-te por mais três anos da consulta , pensei.
Mas não. Passado cinco minutos, ouvi a assistente chamar o meu nome. 
Não há escapatória, ainda por cima a AI estava ali, para se certificar que eu ia mesmo ao médico.
Blá, blá, blá.
Contei-lhe sumariamente as minhas belas primaveras de existência,  complementa  sempre pelas gracejolas da menina AI.
Depois, a frase fatal:
"Pronto, agora pode passar para aquele lado, despir-se, vestir a bata e deitar-se na maca."
Ia ser consentidamente violada!
Até daqui a três anos...

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Campeã da maratona....de sofá

Neste natal recebi poucos presentes, aliás, pouquíssimos. Por via da crise, obviamente, e também por via de já não ser nenhuma criança. Depois, houvera-me confessado, publicamente, vezes sem conta, zangada com o natal, com a hipocrisia do natal, com o despesismo do natal e resolvi mesmo  fazer boicote ao natal.
Nada de árvore de natal, nada de alaridos luminosos de natal, nada de embrulhos vermelhos com  laçarotes dourados a impedir a passagem na sala. Rien de rien.
No entanto (há sempre um entanto), uma das minhas amigas mais queridas fez ouvidos de mercador a esta minha crise e encontrou o presente perfeito para alguém de meia idade, adepta incondicional do grande FCP e fã número um de um sofá qualquer.


Olhem só o que a PS se lembrou: Umas pantufinhas, tipo ténis, tal qual os ténis do meu grannnnde FCP!
A acompanhar, a mensagem : Para a campeã da maratona de sofá e de leituras.
Isto é mesmo ser má língua!!

domingo, 9 de janeiro de 2011

I Was Born To Love You

E adianta tentar explicar??
A semana passada inundou-me uma febre de Volvos (que ainda não passou, diga-se de passagem); esta semana virei-me para o Freddie. Sempre é mais acessível...


sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Love Of My Life

Dizem que este senhor, o Freddie,  superou a Montserrat Caballé em fôlego, ao cantar a célebre "Barcelona". Eu acredito.


Rua Direita

Meti pés ao caminho e fui.
Primeiro o banco, que não é caixa, depois os correios,  seguiu-se a rodoviária que deixou de ser nacional (será que ainda é bom?) e agora se chama tst, a câmara, a polícia e  finalmente casa, home sweet home!!Tudo a butes!!
A minha terra era uma aldeia. Era...
Tudo aqui era ao virar da esquina, ou então na Rua Direita, onde, antigamente, os carros passavam e estacionavam, as pessoas passeavam, as lojas vendiam, os cafés fervilhavam de gente apinhada aos balcões ou em pé à espera de mesa.
Há muito que não passava pela Rua Direita, por que desde que se tornou-se zona nobre e a minha aldeia  cidade,  foi calcetada. Eu também me tornei nobre e passei a andar de carro, em vez de bicicleta ou a pé e por via dessas evoluções ou revoluções, não sei bem,  troquei a Rua Direita pelos centros comercias.
Hoje, por que  fiquei sem ele, tive de atravessar a aldeia que se tornou cidade, a pé. E lá passei pela Rua Direita, a tal que foi calcetada.
Reparei que realmente não é direita, é torta, como torto  foi o  destino que lhe estava reservado. A Rua  Cândido dos Reis transformou-se num fantasma de si.
Daquilo que me lembro, dos tempos em que andava a pé, ou de bicicleta, ainda existem as duas farmácias, a pastelaria mimosa e a papelaria dos jornais.
Subindo, comecei a constatar que os chineses, se não compraram a dívida pública, compraram metade da Rua Direita. Porta sim, porta não, lá estão eles.
Uma loja chinesa de roupa na porta sim, na porta não a ourivesaria portuguesa que diz na montra, estranhamente, que compra ouro, em vez de o vender, a seguir outra loja de chineses, depois uma loja de espiritualidades, depois outra loja de chineses, mas que vende frutas, depois outra ourivesaria que também anuncia que compra ouro, depois um restaurante chinês, depois uma loja de penhores, depois loja chinesa de prêt-a-porter, depois uma loja fechada para trespasse, depois outra loja chinesa....até à PSP
Não continuei porque a seguir vinha o cemitério.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Moda

Há certas coisas que não passam de moda.
Como as palavras, por exemplo. Há palavras que não passam de moda. Amor, amizade, paz,..., ao contrário de outras que vão e vêm, como crise, democracia...
Alguns dos pensamentos também não passam, assim como os pensadores. Ainda hoje usamos velhas máximas como  "Veni, vidi, vici", falamos da Descartes e da sua dúvida metódica. Não passaram de moda.
Os sentimentos também lhe resistiram. Por muito que batamos com os burros na água vamos sempre sentir borboletas na barriga quando as luzes se apagam e acende o coração; vamos sempre afligir-nos quando um nosso rebento dá uma trolitada com a bike ou se atira do beliche abaixo. Faz parte.
Outra coisa que não se deslumbrou com a dita moda foi a memória, pelo menos a minha. 
Hoje em dia é habitual armazenar-se a memória em bits, Kbites, Megabites e, de tanta memória, a memória de uma vida, já se chega aos Gigabites. Começou-se pelas disketes, passou-se para os Cd´s. Agora há as pens e até os telemóveis.
Na!, eu não alinho nessas modas. A minha memória é muito minha, tão minha que lhe dei um nome. Chamei-lhe Recordações.
Esta aqui em baixo é um estava arrumada na gaveta de baixo da Recordações.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

My dream (cont.)

Ainda não há candidatos a benfeitores?



É mais ou menos assim...
Custa só 40 333€ (com as configurações que eu escolhi).
Isto é alguma coisa? Uma migalhinha no buraco orçamental dum ministério qualquer; um pequeno ajuste nas ajudas de custo do gestor lá dos aviões; o preço das plantinhas verdes que decoraram o palco da cimeira da nato; ou do fogo de artifício da Madeira!; para não falar em coisas maiores... e que não se veêm...
Isto de ter bom gosto doí tanto!!!

domingo, 2 de janeiro de 2011

My dreams

É este bichinho aqui, em preto ou azul escuro, que me enchia as medidas, que me levava ao altar, que me corrompia a alma (já toda rendilhada), que me rebentava o coração, que me fazia imensamente feliz.
Estofos em pele, "champanhe". Quanto às outras mariquices deixo-as por conta da vossa imaginação.
Um Volvo S60 D3, para substituir o meu S40, que o meu filho espatifou no final de 2010.





Haverá por aí, entre os meus seguidores, algum sheik, um marajá, um sultão, ou simplesmente um firme politico de carreira filiado no partido do poder e administrador de uma empresa pública?
Va lá, eu mereço!!

Filmes

 Passei a tarde a ver filmes de pincesas. Uns atrás dos outros. E logo ainda vou ver mais um, a historinha aqui do lado, a do Filipe de Borbon e Grécia e Letizia. Vou ver, ver, ver e rever até me mentalizar que existem mesmo príncipes e princesas (plebeias) e que 2010 não se vai repetir.
A fechar o ano, mais um acidente do meu filho que mandou o meu carro praticamente para a sucata.
Annus horribillis este 2010.
Bom, por via dos filmes pode ser que apareça por aí um príncipe, ou apenas um carro (já dava jeito), para iniciar este 2011.

sábado, 1 de janeiro de 2011

Feliz 2011!

O mundo, mais concretamente o planeta, dá voltas e mais voltas em torno dele próprio  e do Astro Rei. E assim se sucedem os dias, os anos, ... o tempo. 
Nós também. 
Damos voltas e mais voltas em cima do planeta, voltas e mais voltas na nossa cama, voltas e mais voltas na nossa consciência, voltas e mais voltas à volta da nossa volta.
Hoje fiz uma perninha com o "tempo cronológico" e fechei um "tempo", um passado, uma página,... uma volta da minha vida.
Feliz 2011!