by Ana

Um espaço para partilhar as "tolices" de cada dia, de uma forma descontraída, descomprometida e com algum sentido de humor. Only that.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

...........................................

 Foto de Ana F. 
(Captada há 17anos e 4 meses)

JÁ NÃO SEI, JÁ NÃO CONSIGO ESCREVER.
SECARAM AS PALAVRAS.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Elvira

La Lechera (Oviedo, Espanha)
(Foto de Ana F.)

Abuela...
Foi assim, não foi, avó?
Foi assim que, aos vinte anos, arregaçaste as mangas e deixaste ver os teus braços, de cor branca , como o leite que vendias porta a porta.
Foi assim que enfrentaste a infeliz sociedade da altura, que te segregava e te queria roubar o filho,  por ser  ilegítimo de um senhor já avô, até aquele dia dos cravos de Abril, ...
Foi assim que te afirmaste, quando a doutora do Externato dos outros meninos tentou recusar o teu filho, por ser o menino da leiteira.
Foi assim que fizeste dele um Homem e meu pai.
Foi assim, ouvindo estas histórias e presenciando muitas outras, de igual coragem, perseverança e luta,  que eu aprendi a admirar-te e a amar-te.
Para todo o sempre, avó.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

O Eterno Solteirão


O tempo passa por todos. Sem dúvida que passa, só os efeitos é que são diferentes. Certo?
Uma das minhas grandes paixões cinematográficas, a par do George C.  e do Richard G., sempre foi o Michael D. 
Menos novo  e muito menos "latino" que os outros dois, também muito menos gentleman nos papeis que costuma desempenhar, nada de romances tipo "Oficial e Cavalheiro", mas com o seu charme muito próprio, seduziu-me (oh!!) desde muito miúda .
Aquele cabelo sempre com a puxar par o desleixado, a roupinha preta que lhe fica a matar e a sua forma de interpretar (foi isso), apaixonou-me, cativou-me. 
Sem rodeios. Muito latino,  deveras caliente, tudo a puxar muito para o pão-pão/queijo-queijo.
Acho que teria desempenhado o "Nove semanas e meia " muito melhor do que o Mickey Rourke, por exemplo, tal como intrepetou a "Atracção fatal".
Ontem fui ver um dos seus últimos filmes "O eterno solteirão". Uma história banal, a qual nem vale a pena tentar contar. 
Mas ele, o Michael, continua em pleno. O mais latino de todos os americanos da meca do cinema salvou o coitadinho dum argumento sem ponta de originalidade.
Charme a potes (aos quase 70...) e sensualidade qb, salvam um argumento de cordel onde o final fica entregue à imaginação de cada um.
Só pelo prazer de olhar durante quase duas horas para o MD, vale a pena gastar os euritos.
Mas só por isso mesmo, portanto se não gostam do marido da Catherine, não vão, ok?

domingo, 19 de setembro de 2010

Adivinhem quanto gosto de vocês



Acho este vídeo um primorzinho.
A mensagem, o cenário, a simplicidade, tudo, tudo , tudo.
Como é tudo isto que eu quero dizer e como, por muito que me esforçasse nunca o conseguiria dizer/escrever tão bem ( e muito menos ilustar melhor), aqui fica o André a cantar por mim.
Ah! a quem se destina?
Não disse?
Ao Nuno, ao Carlos e à Patrícia. UAUUUU, logo três!!!

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

L'enfant terrible


L' enfant terrible ontem fez 19 anos.
Acordou-me às 8 da manhã, pois perdeu o autocarro para Setúbal. Lá fui eu, meia a dormir meia acordada, depois de cinco horas mal dormidas, levá-lo até à escola.
Tínhamos semi-acordado ir jantar, os dois. 
Fui lanchar com duas amigas minhas, vim para casa cedo, telefonei-lhe e nada. Telemóvel desligado. Esperei, esperei e nada.
Por volta das nove, apareceu, com o seu ar todo descontraído, como se tivesse acabado de sair de uma onda, de uma praia qualquer.
"Jantar a esta hora?  Estou estafada, Carlos. Cheia de sono. Não aguento!"
"Então, se tu não jantas, também não janto!"
"Não sejas parvo! Amanhã jantamos os dois."
E saiu.
Passado cerca de uma hora , aparece-me novamente à porta, desta feita com uns sacos na mão.
"Que é isso?"
"É o nosso jantar. Comida chinesa. Vá, senta-te aqui."
Vocês acreditam que o meu coração, em vez de sorrir,  deu para disparatar. 
Da minha boca começou a sair um discurso, perfeitamente desarticulado, que dizia que a comida chinesa , para além de ser uma porcaria, manchava a mesa da sala de gordura, que eu estava cansada de tanta limpeza, que ele era um irresponsável que não respeitava a trabalheira que eu tinha com a limpeza da casa.
Alguém consegue entender coração de mãe?
Eu não.
Desculpa, filho. 
Tu sabes que te ADORO muito. Tanto, mas tanto que não soube como reagir a essa tua atitude. Não esperava do menino "insensato" um sentimento tão nobre.
Parabéns.


.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

O Salvador!


Bom, entre a limpeza do pó do quarto e sacudidela dos tapetes da sala, vim dar uma espreitadela às "novas".
Deparei-me com esta:

Madaíl tenta Mourinho para dois jogos

"Ter José Mourinho como seleccionador de Portugal nos jogos frente à Dinamarca e Islândia, em Outubro, é o desejo de Gilberto Madaíl, que nesta quinta-feira se vai reunir em Madrid para tentar obter o acordo do treinador e do Real Madrid.
A notícia é avançada pelo jornal “Record” e foi confirmada pelo PÚBLICO, junto de fontes ligadas ao processo."

Pensei se seria 1 de Abril, mas não, tenho a certeza que não porque o meu filho Carlos, L'enfant terrible, faz hoje 19 anos!! Hoje estou de parabéns!!
Só pode ser o desespero,  e desespero absoluto.
Mas eu tenho uma solução melhor. Mais barata, muito mais barata, diga-se de passagem, mais à mão e com resultados igualmente garantidos, com a vantagem de não ter que pedinchar nada ao Sr. Florentino Perez.
Querem ver: peçam ao Sr. Jorge Nuno Pinto da Costa para ser Presidente da Federação, também por dois jogos. 
Digam lá que não é uma excelente ideia??

HAPPY DAY!

Hoje estou feliz.
Cansada, arrasada, esgotada, estourada, mas feliz, muito feliz.
O meu horóscopo, aquelas parvoeiras do Facebook, dizia, logo pela manhã, "o período i trazer-lhe a oportunidade de recuperar as suas forças. Aproveite para cuidar de assuntos relacionados com a casa ou com a família".
E eu, que sou muuuuiiito bem mandada, agarrei-me, de alma e coração, às limpezas grandes da cozinha.
Despejei os armários, lavei a louça toda (só consegui partir dois copinhos de cristal), tachos e panelas para a esfrega, subi escadote, desci escadote, esfreguei chão à maneira antiga (sim, de joelho no chão e esfregão na mão), areei bicos do fogão, mudei a arrumação do armário despenseiro, despejei o balde do aspirador central (ai com uns bons 500 trilhões de ácaros acumulados), lavei azulejos, deixei o forno a brilhar, sei lá...10 horas de faxina à moda antiga!
Pelo meio recebi talvez uma das melhores notícias que podia ter recebido.
Poucas outras notícias me teriam deixado mais feliz do que esta. Não tem a ver com o bicharoco, nada disso. Não me saiu o euro milhões, também não.
Apenas descobri que tinha um amigo. Ou por outra, que ainda tinha um amigo.
Um amigo de quem eu gosto muito, muito mesmo, mas que julgava perdido, algures no meio de enxurradas e tufões e de Invernos sem fim...
E eu, que acredito piamente no destino, nas estrelas e em mim, sobretudo em mim, não sei se sorria, se cante, se chore, porque ainda tenho aquele amigo.
Escrevo.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Homem tem raça


Tenho de dar a mão à palmatória...
Homem é Homem. É macho, tem raça, é feito para entender de coisas complexas, como mudar um pneu, encher o depósito de combustível, trocar uma lâmpada, carregar pesos, manusear uma arma, etc...
Mulher não. Qual quê!! Mulher só sabe fazer olhinhos, pedir, carregar criancinha, cozinhar (as que sabem),  gastar, ...
Olhem só o que me aconteceu ontem.
O meu "bote", como lhe chama o meu filho, está nas últimas. Ultimamente só pega a empurrão. Bateria nova, ok.
Ontem, tinha a mudança de bateria marcada na oficina para as 10h da manhã. Um pouco antes, aperaltei-me toda e lá fui, com a AIzinha, pôr o carro a trabalhar a empurrão.
Bom, nem à 1ª, nem à 2ª, nem à 3ª.
Esgotaram-se a estrada e as forças da AI e o carro nada de pegar.
A coitada da moçoila  estava metade da sua fina figura e eu  desesperada. 
Os simpáticos da oficina, gentlemen como só os homens que têm colecções de calendários Pirelli sabem ser, não ofereciam qualquer solução para vir buscar o dito "bote".
Lembrei-me, então, que a mamã tinha uns cabos de bateria, para fazer os chamados "encostos". 
"É fácil, não tem nada que saber. Liga o + com o +, põe o que vai fornecer a carga a 1500 e já está", explicava o gentleman da oficina, enquanto coçava o sue farto bigode com ar de sabedoria absoluta.
Bom,  lá fomos buscar os cabos à mamã. 
Colocamos o carro da AI e o meu face to face, com os capots abertos e tchan!! a AI não via a bateria do carro dela! 
"Eu sabia que este carro tinha qualquer coisa escondida!", exclamava...
Pois, AI, a bateria do teu carro está escondida, aliás tudo quanto é motor está escondido, debaixo do capôt...
"É melhor ir buscar o carro da tua mãe".
"Bora, buscar o carro da mamã, mas pedes tu, ok?".
A mamã começou a desconfiar...duas visitas no espaço de meia hora é de estranhar. Primeiro os cabos, depois o carro...ali havia gato (gatas, neste caso)
Voltámos ao local onde estava o Volvo moribundo, repetimos a cena.
Desta, dizia a AI "A bateria está aqui, mas onde será o + e o -?" 
Lá limpei aquela coisa até ver uns sinais + e -. "Olha é aqui, estás a ver os sinais?"
"Pois, e agora onde é que se liga?"
"Agora, agora não sei..."
Nisto, vislumbro um carro de uma escola de condução a passar. Saco daquilo em que as mulheres ainda conseguem ser mais ou menos boas... e
"Olhe, por favor, pode dar uma ajuda? "
"?? Sim, diga lá o que se está a passar?"
"Sabe, acho que todas as pesoas que andam a tirar a carta deviam aprender certas coisas, como mudar um pneu e dar carga numa bateria, importa-se de me ensinar a fazer isso e aproveitar e ensinar ao vivo a sua aluna, para que nunca tenha que vir a passar pelo mesmo que eu?"
O instrutor deve ter-me achado uma piada e uma charme monumental!!
Nem vacilou. Fez o seu melhor sorriso, saiu do carro, explicou tudinho, mas mesmo tudinho, pôs o carro a trabalhar, "desplasmou" o motor de arranque, que eu nem sabia que estava "plasmado"  (nem sei o que isso significa, embora ele me tenha explicado muito bem) e, para terminar, ainda verificou o estado da bateria.
Afinal, a dita não precisava de ser mudada, apenas estava a fazer mau contacto!!
Ora agora digam lá que homem que é homem não é raça superiormente dotada??!!
Mulheres ao volante!
Será que durante o Estado Novo as mulheres tinham permissão para conduzir? Com ou sem autorização dos respectivos maridos?
Estas modernices da revolução...

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

"Ana sem medos"

 
Sempre me considerei uma mulher de força e coragem.
Uma espécie de "Ana sem medos"; por vezes demasiadamente sem medos, exageradamente destemida; ousadamente ou destemperadamente (conforme a perspectiva) audaz. 
Atribui esta característica (e atribuo) aos genes que herdei da minha avó Elvira, os quais, tenho a certeza, transmiti à minha filha. Orgulho-me disso. 
Não tenho medo do escuro, não tenho medo de viver sozinha, não tenho medo do bicho papão.
Não me envergonho quando sou apontada na rua porque me divorciei e os meus filhos ficaram a viver com o pai; nunca me envergonhei quando, em criança, era apontada na rua porque os meus pais eram divorciados e eu vivia, feliz e contente, com os meus avós.
Não tive medo quando estava grávida do meu filho mais velho e me disseram que o bebé tinha uma deficiência.
Também não tive medo quando voltei a engravidar três meses depois de uma cesariana, para dar um irmão ao Nuno, pondo a minha vida em risco.
Não temi, aos 32 anos, quando concorri à presidência de uma escola básica e secundária, à cabeça de uma equipa sem experiência alguma em gestão escolar, ...
Quando soube que tinha um cancro, também não tive medo. Aceitei, não me resignei. Aceitei o que é  bem diferente.
Não tenho medo. Não tenho medo do cancro, nem do escuro, nem da morte, nem da vida.
Só há uma coisa da qual tenho quase medo. Tenho raiva da pena, da compaixão. Detesto isso!!
Quando o cancro for embora (porque vai, mas vai mesmo), como é que vai ser? Terminam os pretextos, acabam-se as desculpas,  esquecem-se as "amizades"?
Pois é. Pena mesmo, só  aquelas que servem para encher edredão, casacos "penados"ou almofadas para sofás.
Também serve uma noite no Palácio da... Pena.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Quem tem medo do lobo mau?



Ainda me lembro do tempo que a "net" era o bicho papão.
"Vais colocar isso na net?"
"Fazes compras pela net?"
" Mas dás os teus dados pela net?"
"O quê? Pões as fotos dos miúdos na net?"
Lembro-me do dia, mas concretamente da noite, enquanto trabalhava no gabinete do CE e a Célia, o Pacheco e o Caninhas faziam o carregamento da página web da escola na biblioteca. Naquela altura a escola tinha meia dúzia de PC e a biblioteca (que ainda não era CR), era quase o quartel general das informáticas. Muito alarmada, a Célia entrou no gabinete do CE pediu-me que a acompanhasse até à biblioteca, pois a página web da escola havia sido "assaltada".
Era uma página muito humilde, com algumas informações, a minha foto com uma mensagem de boas vindas, enquanto Presidente da Escola, a qual eu fazia questão de mudar todas as semanas.
Pois naquela noite, a minha foto estava particularmente interessante.
Os "piratas", alunos da escola (como viemos mais tarde a saber), foram uns queridos. Colocaram-me um charro na boca e  pintaram-me umas olheiras até ao pescoço.
Por baixo da minha e foto e a substituir a mensagem de boas vindas, colocaram uma imagem do Bush (filho) e do Bin Laden numas sugestivas poses sexuais...
Na  época foi um escândalo, a concretização de todos os medos e receios...o papão havia atacado mesmo; o virtual era mesmo real e nós completamente impotentes. Acabou-se a página num ápice e no mesmo ápice chamou-se a PJ à escola!
Não se passaram ainda dez anos. Hoje, temos tudo aos olhos de todos.
Compra-se, troca-se, vende-se, permuta-se, partilha-se, share-se, renta-se, confidência-se, segreda-se, confessa-se, conta-se, publica-se, manifesta-se, apresenta-se, expõem-se, declara-se, apregoa-se, edita-se, espalha-se, guarda-se, ...que mais? .... VIVE-SE na net. VIVE-SE a net.
Os blogs, o Facebook alimentam parte da vaidade, do ego de cada um. Ou são as fotos dos filhotes que gostamos de mostrar ou das viagens que queremos partilhar, ou as baboseiras que escrevemos (porque achamos que somos uns quase Saramagos) que gostamos de publicar, ou blá, blá, blá. 
Porque todos estamos aqui à espera que alguém esteja aí! 
E ainda bem que é assim. E ainda bem que a net existe! E ainda bem que, aos poucos, há quem vá deixando de ter medo do lobo mau, senão como é que eu publicava as minhas fotos lindas de morrer para vocês todos as verem e morrerem de inveja de não serem tão lindas assim?
Ah!! E se alguém se lembrar de me pôr um charro na boca, eu volto a chamar a PJ, ok?

I want to live in...


video
As noites parecem querer (re)começar a ser longas e o pior é que eu lhes dou trela.
Para além de me dedicar a procurar novos termos a incluir no dicionário ou mudar layout do blog, decidi explorar um novo programa de produção de filmes caseiros.
Lembrei-me de fazer uma experiência. Aqui vai ela.
Estou a pensar apresentá-la a um dos Festivais: Cannes, Veneza, Berlin, S. Sebastian, Gotemburg ou de Locarno.Isto para não sair na Europa, claro está. Ainda não decidi .
Bom, dado o valor documental, também posso apresentá-lo no DocLisboa.
Tudo vai depender da Gabriela e do subsidio que ela aprouver, claro. Não tenho nenhum famoso como o JA, não tenho cenários americanos, mas tenho povo, genuinamente povo,  e isso conta lá para os lados da COltura!







P.S.: A PEDIDO DA ACTRIZ SECUNDÁRIA, a qual se considerou escandalosamente ofuscada pela actriz principal,  O VIDEO INICIAL FOI SUBSTÍTUIDO PELO PRESENTE .

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

MUDASTI???

Mudasti??? - 2ª pess. sing. pret. perf. ind. de mudari
mudari - mudari quando não se sabe o que fazeri ao tempo; mudari layout do blog
(latim muto, -ari)
v. tr., intr. e pron.
1. Fazeri ou sofreri alteraçon nos neurónios. = alterari, modificari, transformariconservari, manteri
2. Variari de habitaçon ou residência con frekuencia.
v. tr. e intr.
3. Tirari de um lugari ou posição para outro só pra empatari o tempo. = deslocari, moveri, transferiri
4. Substituiri, trocari.
5. Dispori ou apresentari-se de outra forma. = modificari, renovari
6. Dari outra orientação, direcção ou sentido. = redefiniri, redireccionari a direção
 7. Estari na muda (da pena, da pele, do casco etc.).
v. intr.
8. Cambiari, variari tutti.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Coisas....


Eu bem disse que Setembro ia se caliente. 
Disse ou não disse? Caliente e cinzento, só falta mesmo a trovoada!
Ontem, ao final da noite, la comparsita que está farta do meu discurso monocórdico, disse assim:
"Epá, diz-me uma coisa positiva que te tenha acontecido hoje!, pelo menos uma!"
 Pensei, pensei e respondi:
"Olha, o carro vai dormir à garagem!"
"Ai vai? Então porquê?"
"Porque o vidro ficou aberto, não fecha. Avariou o elevador."
Ora digam lá se nos dias de hoje, com assaltos, vandalismo, quiça tempestades e desabamento de terras, pôr o carro na garagem não é um acto prevenção, de criação positivo??

P.S.: Se alguém souber de algum arsenal nuclear algures em saldo, avise. Tb se aceita contactos de bruxas com créditos firmados no mercado.

domingo, 5 de setembro de 2010

Recuerdos de vacaciones

Andei uns dias na vadiagem. Sim, que isto de tristezas não pagam dívidas  e o Setembro é por tradição um mês caliente.
Fui refrescar-me até terras de nuestros hermanos, ora bem!
Poucos dias, poucos dias que a crise é a valer, mesmo sendo "à boleia" e por conta das amizades...
De máquina fotográfica em punho, para além das magníficas paisagens naturais dos ditos "Picos da Europa", olhem só as curiosdidades que encontrei, por altitudes bem mais baixas, ou seja, menos aéreas, mais "terrenas".
 Foto de Ana F
Aqui, La Victoria, roja pressuposto, encerrou... SLB...???.

Foto de Ana F.
Bom, esta já não é para brincadeiras. La Esperanza  cerrou. Espero que tenha sido apenas para la siesta. Mas já viram bem estes coitados? La Vitória e La Esperanza cerradas?

Agora paisagens aéreas, pertinho das nuvens, onde tudo é possível, mesmo a sobrevivência no meio do nada. Espreitem lá:

Foto de Ana F.
Grande Victória e uma boa dose de Esperanza para sobreviver e crescer até esta altura no meio de tanta pedra, não é? É por estar pertinho das nuvenszitas, dos milagres e das pedras :-)).
Bom, também vi uns aparentados de algumas caras que me são familiares. De gente de boa língua para estufar, mas depois de muito escaldar e pelar.

Foto de Ana F.
Cáustica? Eu? Ora, mas que coisa!!!!
Já agora, comentários anónimos não, ok? Escrevam um nomezito qq nem q seja por ex. Maria Pankrácia ou Anástácio Sintéctico. Sempre dá mais... mais... mais, como que dizer, mais enfoque à vossa opinião. É isso, mais enfoque. Tb podem assinar como José Sócrates Sousa, ou Aníbal, ou ainda Hannibal...was you wish.