by Ana

Um espaço para partilhar as "tolices" de cada dia, de uma forma descontraída, descomprometida e com algum sentido de humor. Only that.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Corrupção em estado embrionário

Dizem que hoje se celebra o dia mundial da corrupção. Ou será da luta contra a corrupção? 
Bom, depende sempre do ponto de vista. Para os que se abotoaram à la carte, ou em self service,  a salpicar de vírgulas os normativos legais e outros diplomas que tais, então temos a comemoração do dia mundial da corrupção; para os outros, quase sempre a maioria, que não souberam usar desses expedientes e que, coitados, nunca  entraram no gabinete do presidente da EDP  para perguntar onde era a sede do BCP, para esses, dizia eu, celebra-se o dia mundial da luta contra a corrupção.
Mas prelúdios à parte, queria-vos deixar uma história, a propósito de corrupção, contada na primeira pessoa. 
Sem sal nem pimenta.


Há uns anos atrás, era eu presidente da minha escola, (um cargo que jamais dará azo a corrupções), uma escola básica de 2º e 3º ciclos, relativamente calma, quando, pelas oito e pouco da manhã, o guarda da segurança me bate à porta do gabinete.
Trazia-me um rapazinho, do 5º ano, que deveria ter os seus 10 aninhos, rechonchodinho, encasacado do frio, de faces coradas, de olhos muito abertos, cujo nome já não me recordo.

- Srª Drª, este menino foi apanhado com esta faca de mato da mão, aqui no páteo da escola. Trago-o até aqui para que a Srª Drª tome conhecimento, uma vez que ainda não está a Drª X ( a minha colega encarregue da parte discipinar, na altura).

- Ora muito bem, o que é que este menino trouxe para a escola?

- Eu.... -  tentou o rapazito dizer

- Eu....? Eu, nadíssima de nada! Já lhe dei ordem para falar? 

- Não Srª...

- Como é que o menino se chama?

- Zacarias.

E escrevi o nome num papel. 

- Nome do pai?

- Melaquíades.

Vá de assentar, com fulgor.

- Nº de telemóvel do pai do menino?

- 123456789

Continuava a rabiscar, no mesmo papel, a tinta vermelha, com traços por baixo.

- Turma?

-5º Z

- Ora muito bem, então agora diga lá o que é que aconteceu.
- Eu, ...eu, eu vinha para a escola, vinha devagar, a olhar para o chão e encontrei a faca no meio do caminho. Meti na mala para quando chegasse à escola entregar ao funcionário - cuspiu o rapazito, tudo de rajada.
- Bom, então quer que eu acredite que o menino Zacarias encontrou esta arma branca no meio da rua e a introduziu-a dentro do recinto escolar? -  e pegava numa fita métrica, media a lâmina da faca que, efectivamente tinha 10cm, bem em frente dos olhos do Zacarias.
- Sr. Guarda, em que circunstâncias é que confiscou a arma? - perguntei ao guarda
- Ele estava a mostrá-la aos amigos, no páteo.
- Então por quantos funcionários passou, menino Zacarias?
- Muitos. (ainda não havia contenção..)

- Muitos! Muitos funcionários com uma arma branca dentro da sua mochila!E caladinho que nem um rato!

- Sabe o que é que isto dá? Isto vai direitinho para o seu processo, para o seu cadastro! 
Fica cadastrado. Daqui, o cadastro,  vai segui-lo para o secundário, para a tropa, para a vida civil.Isto é grave!
É o chamado porte de arma branca. Já ouviu falar? 

- Não, não ouvi.

- Já chamámos a GNR  para vir recolher a arma, não a podemos ter na nossa posse (o que até era verdade)- continuava eu -  Portanto, vou telefonar imediatamente aos seus pais, dando conta que o menino introduziu uma arma branca dentro da escola, mais concretanmente uma faca de mato, com uma lâmina de 10cm,  arma essa que diz ter encontrado na rua e de todos os procedimentos legais que vamos ter que iniciar.

A esta altura do campeonato, o menino Zacarias que devia medir ai 1,40m, pôs-se em bicos de pés, acrescentou uns 10cm ao seu tamanho até chegar a metro e meio de gente, apinhou os pulmões de ar, deu um passo firme em direcção à minha secretária, assentou nela as duas mãos sapudinhas e já transpiradas, aproximou a cabeçita de mim e com toda a convicção do mundo perguntou-me:

- Quanto é que quer para ficar calada?

12 comentários:

  1. Então Ana, de pequenino se torce o destino... ou será antes: de pequenino se cumpre o destino...

    Bjs

    ResponderEliminar
  2. ah ah ah!
    Já cantava Sérgio Godinho, de pequenino se torce o destino.

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  3. Caindo no risco de ser repetitivo, foi isso mesmo que me ocorreu "De pequenino se traça o destino". Mas já agora diga lá... quanto é que pediu ao miúdo? ( Estou só a brincar...)

    ResponderEliminar
  4. Olá!
    Gostei da sua postagem. É a primeira vez que cá venho, vou seguir o seu blogue, gostei. Siga os meus também!

    www.congulolundo.blogspot.com
    www.queriaserselvagem.blogspot.com
    www.minhaalmaempoemas.blogspot.com
    www.angolaeseusfilhos.blogspot.com
    www.inforvideo.blogspot.com

    Um abração e até sempre

    ResponderEliminar
  5. ESSA É INCRÍVEL...OLHA SÓ O MENINO ROSADINHO E TAL COMO SE SAI...JÁ PRESENCIEI CENAS NÃO COM ARMAS MAS DE OUTRO GÉNERO...ANJOS DE ASAS PRETAS, COM OLHOS DE PEIXE MORTO MAS COM TODA A RONHA DESTE MUNDO E DO OUTRO...MAS ESTOU CONVICTA QUE NINGUÉM NASCE PERVERSO...E CADA VEZ TENHO MAIS ESSA CERTEZA... TENHO A CERTEZA QUE AS CRIANÇAS SÃO MESMO MAL ENSINADAS E DOMESTICADAS EM CASA...E LOGICAMENTE CHEGAM À ESCOLA TOCA A ENSINAR O QUE SABEM AOS OUTROS. DEPOIS DÁ-SE A CONTAMINAÇÃO...

    BJ

    ResponderEliminar
  6. ...Quem sou
    Nunca me encontrei na letra de uma canção
    Nunca toquei duas notas seguidas em harmonia
    Mas perdi-me às vezes na ilusão

    Reencontrei-me com o amor
    Amargura mora sempre com a razão
    Um mágico nem sempre acerta
    No seu golpe de mão

    Mas fiz mil tentativas nesta viola
    Nenhuma nota bateu-me certa
    Sou um triste e patético tocador
    Desta...Melodia Incompleta...

    Doce beijo

    ResponderEliminar
  7. Helena

    Acho que deve ser um misto das duas coisas...
    Não sei bem por onde andava metade deste país em pequenino, mas deve ter frequentado boas escolas:-))
    Bj

    ResponderEliminar
  8. AC

    Os ditados populares têm sempre algum fundamento, não é?

    ResponderEliminar
  9. Carlos,

    A única coisa que me preocupei naquele momento foi em conter a gargalhada acompanhadada um ataque de espanto.

    ResponderEliminar
  10. José
    Obrigada pela visita e volte sempre!

    ResponderEliminar
  11. Pedras

    Mas este tinha mesmo carinha de anjo de asas brancas. Sabes lá o esforço que eu tive de fazer para me conter, depois daquela proposta de suborno!!

    ResponderEliminar
  12. Profeta
    Obrigada pela sua visita e pelo poema q deixou.

    ResponderEliminar

Olá, então diga lá de sua justiça...